27 de ago de 2008

Luto

Eu costumo ter sonhos estranhos. Sonho com pessoas próximas e queridas morrendo. E acordo me sentindo mal. Mas hoje foi diferente. Por dois motivos: 1) quando acordei não consegui lembrar quem morria no sonho; 2) não me sentia mal mas sim uma sensação de descanso, uma sensação boa. A manhã pareceu vazia. Voltei pra casa pra almoçar. Almocei. Mas tinha que voltar pro centro. No exato momento em que o ónibus paro e as portas se abriram, lembrei de você. Pensei que deveria te visitar dia desses. Mas meu pensamento foi interrompido pelo "boa tarde" do motorista. A tarde passou. Voltei pra casa. E ao chegar, pela primeira vez, me deu vontade de desenhar sem motivo, deixar a mente fluir no papel. E curvas fluíram, se sobrepuseram (é assim?) e interagiram. Resolvi colorir. Preenchi cada mínimo espaço em branco. Só faltava o amarelo, a tinta do rotulador teimava em não sair, como se estivesse evitando algo. A tinta saiu. No momento em que passei pela última vez o rotulador no papel e pensei "acabou", ouvi alguem batendo palmas em frente de casa. O coração disparou. "Lu, atende a porta por favor?" e só ouvi "é aqui que moram as filhas da suely?", já vi que não são boas noticias. A Jenifer foi falar com o moço. Vesti o primeiro calçado que me apareceu. É.. as noticias não eram boas. E agora? ligar pra mãe? pro pai? o que fazer? "Mãe atende esse telefone!!!!".
Procurei manter a calma. Mas as lembraças são mais fortes. Lembra daquele volantinho que tinha pregado do lado da sua estante?? Aquele doce que vc fazia que eu adorava, qual era mesmo?? Aquela casa tão pequena, tinha fim???? Lembra que eu acreditava mesmo que a senhora era mãe da minha mãe?? E que eu me achava o gás da coca-cola pq eu tinha três avós... e mais nenhum dos meus coleguinhas de patotinha tinha... Essas imagem que ficarão em minha mente. A senhora rindo. Faz tanto tempo que não te via. Mas me lembro perfeitamente. Da sua risada rouca, do seu sorriso. Enfim... pelo menos, já não sofres mais.



"(...) Cumpriu sua sentença e encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca de nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, por que tudo o que é vivo, morre (...)"
"Auto da Compadecida," Ariano Suassuna


Murilo diz:
nao lembro qm disse... mas alguem disse... a morte eh onde acaba a vida... isso nao significa q ela termine




Vó Rita, espero que seu final tenha sido feliz.

3 comentários:

  1. "A morte é de fato o fim, no entanto não é a finalidade da vida."
    (Michel de Montaigne)

    ResponderExcluir
  2. "O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. O que Deus quer é ver a gente aprendendo a ser capaz de ficar alegre a mais, no meio da alegria, e inda mais alegre ainda, no meio da tristeza! Só assim de repente, na horinha em que se quer, de propósito - por coragem. Será? Era o que às vezes achava. Ao clarear do dia."

    é do Guimarães Rosa. :}

    ResponderExcluir
  3. ei, teadorodemaisdemaisdemais dona moça.

    ResponderExcluir

desabafa vai!!!