13 de jul de 2011

O Medo

A gente sempre tem medo de alguma coisa, medo do escuro, de barata, de aranha, do homem do saco, etc...
Mas ultimamente eu conheci alguns tipos diferentes de medo.
Medo de não conseguir me formar. O que foi bem tenso, na reta final do meu tcc, 1 ano e meio de trabalho depois, a banca resolve ficar em duvida se eu merecia ou não a aprovação do trabalho (pq como o professor falou eu sou "boa pra ter idéias, mas só vai se dar bem na vida se achar alguem que execute, pq vc não tem capacidade pra isso!"). Foi tenso, chorei, me desesperei, mas com muita ajuda consegui cumprir as exigências, mostrar que sou capaz.
Também descobri que meu medo de aranha é maior que o normal. foi tenso.. vi uma aranha gigantesca na minha casa... morri de medo, na verdade pavor parece mais apropriado. Era muito medo pra uma pessoa só. Ao menos eu pensava que era.

Eis que fomos surpreendidos novamente.
O maior medo que eu já tive na minha vida, o mais duradouro, apavorante, sei lá. Não sabia ao menos que eu era capaz de sentir tanto medo.

É horrível, ter medo de sair de casa, depois que sai, ter medo de voltar pra casa, qdo tá em casa ter medo de dormir, ter medo de ir até o portão colocar o lixo pra fora, medo de ir no quintal colocar a roupa no varal. Ir até a padaria e voltar virou sacrifício. Isso é péssimo, é frustrante, e o pior é irracional, eu não quero ter medo. Quero poder chamar meus amigos pra ir num café depois do trabalho, e conseguir chegar em casa as 9 sem morrer de medo. Eu quero que qdo me derem carona eu pedir pra entrar pra dentro do portão pq tenho medo de descer na rua. Eu quero voltar a dormir uma noite inteira, sonhar, acordar bem humorada e não precisar conferir 5 vezes, antes de dormir, se a porta está fechada.

Eu só quero minha paz de volta!

Eu sei que aos poucos isso vai passar, e daqui um tempo eu vou poder voltar a ter minha vida normalmente. Estou tentando pensar que hj estou melhor que ontem e pior que amanhã, que depois da tempestade vem a abonança e coisas do gênero.
Tem mta gente me apoiando e eu sou infinitamente grata por isso. Desde uma ligação antes de dormir, pra conferir que eu to bem, até a carona pra não chegar sozinha em casa ou a ligação lááá de longe que desenterrou um sorriso no meio de tanto medo.
É nessa hora que a gente vê como a gente não tá sozinho. No meio de tudo isso eu consegui ver e sentir o real significado do amor em movimento. Sentir o amor das pessoas por vc é uma das coisas mais confortantes que existem.

Enfim, talvez toda essa história de medo pareça "tempestade em copo d'agua" mas é mto real pra mim. Dia após dia eu vo superando isso...

Parafraseando a dadivosa Ana Carolina "Que façam bom proveito do que levaram, pq eu trabalho e outro dinheiro eu vou ganhar!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

desabafa vai!!!