12 de nov de 2013

Changes

Nossa... faz tanto tempo que nem lembro mais como era...
eu leio postos antigos e tudo parece uma realidade muito distante... principalmente os últimos posts.. o do meme das antigas.

Era outra vida...

Ai você me pergunta.. por que? como assim outra vida?

Eu te digo... Desde 2012 a vida virou de cabeça pra baixo... e mais uma vez, e mais uma, e mais uma... e agora estou eu aqui, juntando cacos, tentando limpar esta bagunça. Tentando seguir em frente.
Nos últimos 2 anos a vida tem sido basicamente mudanças. Tudo o que eu acreditava ser certo, nítido e claro se desfez, quebrou em pedacinhos, esfarelou-se, virou pó. Meu porto seguro, meu esteio, minha metade mais doce não está mais aqui. Sinto-a dentro de mim, branda, me afagando quando preciso, me levantando qdo minhas pernas falham. Mas mesmo assim é difícil. Quantas vezes não peguei o celular e fiquei olhando para aquele nome, aquele numero que eu não consegui apagar. 393 dias e nunca fica mais fácil.
O mundo hoje parece envolto em dúvidas. O que é certo? o que eu quero? pra onde quero ir? o que quero fazer? ficar? ir? mudar? resignar? radicalizar? o seguro? o imprevisível?
As vezes me vem aquela louca vontade de mudar. Vejo as pessoas mudando e quero, desejo aquela coragem. Mas o medo volta, e como quem não quer nada diz:
 - Longe de mim te desanimar.. mas isso não vai dar certo!
E de repente a mudança tão desejada passa a sequer fazer sentido. Pra que eu vou mudar toda a minha vida? Se a peça central, o que me motivava a querer mudar, não esta mais aqui?
Mas é só a vida dar uma bambeadinha de nada nos trilhos e lá vou eu, sonhando novamente. Parte de mim quer dar asas aos sonhos, deixa-los fluir, mas por outro lado, algo coloca o meu pé no chão e me mostra que tem mto chão até o que eu quero. Tem muita coisa interna e externa a ser resolvida.
Mas eu ainda to aprendendo a lidar com isso sozinha.
Pois é... sozinha. Nesse turbilhão de acontecimentos e sentimentos, meio que sem querer - meio que não - eu me fechei um pouco, me retrai, me voltei ao meu mundinho. Aqui as coisas são "mais seguras" as vezes sinto que eu só quero não desmoronar. Um castelo de areia na beira da praia lutando pra continuar em pé. E as vezes se desmorono, mas pra ninguém ver, e depois ressurjo, como se nada tivesse acontecido, vestindo meu melhor sorriso - não me entenda mal, pois ele é sincero - mas esconde muita coisa.
As vezes no meio disso tudo surge um sonho bom.. desses bem impossíveis, que só a Disney é capaz de plantar na cabeça de uma menina. Mas consciente de que é só um sonho, uma ilusão, me dou ao luxo, afinal, provavelmente não saia de onde está. Então fico ali parada, sonhando, sorrindo um sorriso bobo, e frouxo, pra no instante seguinte acordar e levar a vida com um pouco mais de leveza.

Nem só de mudanças ruins se fizeram os últimos anos. Algumas coisas mudaram pra melhor.
A melhor delas, sem dúvida foi a minha monstrenga, minha Babi, minha Babizuca. Sou a feliz possuidora da cachorra mais atrapalhada, mais dengosa, mais fofa sem contar mais destruidora de todas as cachorras.
Sim, hoje eu finalmente tenho uma cadelinha, que é luz, raio, estrela e luar, manhã de sol, meu iaia, meu iôiô. Minha bebezuca, hoje com seus 8,5 meses é muito sapeca, mas muito amorosa. Apesar da minha solitude, não me sinto só, ela me faz companhia, me traz alegria. Não se passa um dia sem que eu sorria, por pior que seja meu dia, ela sempre me arranca pelo menos um sorrisinho de nada. é muito amor!
Fora essa mudança, resolvi fazer um Extreme Makeover Lilian Edition. Depois da morte da minha mãe, segurei as pontas a base de comida, sim, o brigadeiro, sempre me fazendo companhia. 4 Meses após o acontecido, eu, que cujo peso ideal gira em torno de 56 kg, atingi o pico de 74kg, ou seja, hora de mudar. Hoje, 5 meses depois, aqui estou eu com meus 62kg (e diminuindo).
Bom, resumo da ópera, mudei.

Vezes sem conta tenho vontade que nada mude
Meia volta volver mudar é tudo o que pude
Paulo Leminski